01/05/2012

o Pingo Doce

esteve lotado. Não que seja novidade para ninguém. O que me incomoda é haver gente que diz mal das famílias que foram até ao pingo doce aproveitar a campanha. É sabido que o povo Português é conhecido por gostar de  promoções, do leve 3 pague 2, do "+350ml grátis" e afins. O que moveu tanta gente hoje ao pingo doce não foi 100% a promoção, foi a necessidade de poder comprar tudo a dobrar e apenas pagar metade. Hoje é complicado gerir uma casa de família, é complicado abdicar de hábitos alimentares que dantes se tinha e não se dava tanto valor quanto isso. Hoje substitui-se o peixe fresco pelas latas de atum e a carne de vaca por salsichas. Sou do tempo em que a minha mãe inventada mil e uma formas de fazer salsichas e o único jantar disponivel era aquela sopa completa. Sinto que hoje vive-se como há 25 anos atrás, que as pessoas não querem estar fidelizadas a serviços que sabem que vão usar com pouca frequência (ginásio é um exemplo). Mas, voltando ao dia de hoje. Por ironia, é o primeiro dia do mês (dia de receber para muitos) e dia do trabalhador, feriado. Do tempo que estive no pingo doce vi funcionários a trabalhar como nunca antes, seguranças a controlar as entradas, vi prateleiras do leite, cereais, arroz, massa, azeite, óleo e entalados vazias. Vi um povo com necessidade, em desespero e a comprar, maioritariamente, quase tudo de marca pingo doce. Já não somos exigentes com o que comemos, queremos comer, simplesmente. Muitos de vós ja deveria ter reparado que muitos "sem abrigo" até estão gordinhos. Certo? Já se perguntaram porquê? Acredito piamente num único factor: não querem saber o que comem, apenas querem saciar a fome. Não é o apetite, é a fome. O que hoje vi foi um povo com fome, famílias inteiras necessitadas. Depois, infelizmente, há quem chame a estas pessoas de estúpidas, mesquinhas e sem amor própio porque "vão ás promoções". Não, chamo-lhe um povo que meteu o rabo entre as pernas e não luta e que tem vergonha. Um povo que desistiu e está desesperado. Porra, nós temos recursos, mas também temos muitos curruptos.
O retrato do dia 1 de Maio de 2012 é este. Para mim, claro

6 comentários:

Chicolaiev disse...

Se tivesse aqui um botão isto levava um grande GOSTO!!

Peppy Miller disse...

;)

Ni Luz disse...

Não podia estar mais de acordo!
Fiquei muito triste com textos que li acerca deste assunto... e assustou-me perceber que há pessoas que ainda não perceberam que a situação está demasiado grave para muita gente.. e a isto, eu chamo desespero...
*
womanatural.blogspot.com

Tania disse...

Olá, eu também vi muitos comerciantes e pessoal da restauração a abastecerem-se não para matar a fome mas para venderem com vista a obtenção de lucro. E já agora, quem comprou diga-me só se os prazos são longos ou se daqui a 2 meses ficam fora da validade.
Não retiro mérito pela campanha, e realmente há muita gente a passar fome, mas reparem bem em alguns carrinhos cheios de Coca-cola e cerveja - isso não é essencial a ninguém.
O Português comportou-se como é esperado... agora imaginem num cenário de guerra.
Beijinhos

Life is what it is disse...

Tania, eles não podiam fechar portas ou seleccionar os clientes para separarem o comercial do povo!
Sim havia quem levasse cerveja e sumos, mas as prateleiras realmente vazias eram massa, arroz, leite, ovos, acucar, carne, iogurtes, fraldas....
Eu estive la e comprovei isso, sumos arranjei eu muito, cerveja havia prateleiras cheias, mas arroz massa acucar leite enlatados de marca branca não havia nada mesmo!!
Por isso eu penso como a peppy, o desespero é muito e ninguem tem noção de como andam muitas familias.
Muitas vivem so de aparencias!
E olha vi muita "tia" lá metida.
beijinhos

S* disse...

:(

Retrato triste mas muito real. Isto não foi apenas gostar de promoções... foi necessidade.