25/07/2012

Why we care that much? (Amores e outros desastres)

Outro dia recebi um email muito engraçado acerca do stress que invade muita mulher quando tem um 1st date, um jantar, um encontro ou algo parecido com aquele homem que nos deixa sem ar.
O email começa assim “Quando um homem chama uma mulher para sair, não sabe o grau de estresse que isso desencadeia em nossas vidas.
O stress, esse mau amigo que teima sempre fazer das suas quando menos queremos. O caso típico e batido é aquela maldita borbulha aparecer no dia que temos o encontro.. ficamos completamente à nora, arranjamos mil e uma mézinhas para aquela porra desaparecer.. mas não, pioramos o caso e na verdade, se formos a analisar, eles nem reparam que temos um enfeite mesmo no meio da cara.
Ele diz, como se fosse a coisa mais simples do mundo ‘Vamos jantar amanhã?’.Você sorri e responde, como se fosse a coisa mais simples do mundo: ‘Claro, vamos sim’.Começou o inferno na Terra. Foi dada a largada. Você começa a se reprogramar mentalmente e pensar em tudo que tem que fazer para estar apresentável até lá
E o que nós fazemos??? Armamos um esquema de modo a que tenhamos todo o tempo do mundo para ficar aperaltada para o moço. Uma roda viva de idas às lojas, cabeleireira, manicure, estetecista e dieta. Sim, porque queremos aparecer com uma barriguinha lisa de fazer inveja à Heidi Klum, daquelas que nem é preciso suster a respiração. Sentimo-nos belissimas e poderosas para vestir aquela peça de roupa mais justa ou quiçá tentar um vestido hiper modeletivo. Mal ele sabe e sonha que andamos a passar fome e que depois passamos por “um bom garfo” chegadas ao restaurante.. também tanta fomeca, não há queijinho fresco com doce de figo que resista.
Passemos à manicure: Mãos e pés, bem feitos, mesmo que seja no Inverno.. não vá o destino pregar uma partida e termos que tirar os sapatos e as meias e ficamos ali com o pézinho nude, sem qualquer pingo de sensualidade.. e as mãos, acho que nem é preciso explicar..lol
Depilação: mesmo sem ter um pelito à vista, queremos parecer imaculadas, como se não tivessemos buço, pêlos nas pernas, axilas, virilhas e onde eles se lembram de nascer.. o sofrimento??? É tanto mas tanto que às vezes nos perguntamos para quê o esforço, não porque poderá acontecer alguma coisa assim mais para o despido, mas porque faz com que nos sintamos muito confiantes, e a confiança numa mulher nota-se a léguas.
Cabeleireira: Nada como uma mudança de visual para impressionar o moço. Mas nada de cortar porque corre sempre mal nem fazer invenções do tipo :” num dia ele conhece-nos de cabelo encaracolado e no dia D dá de caras com uma gaija de cabelo lambido e franja!” Pode até acontecer não nos reconhecerem, tal é a mudança.
Lojas: Ora aqui é que vem o verdadeiro problema e stress. Isto é lingerie (existem casos), isto é um top novo, isto é uns sapatos a fazer pendant com qualquer coisa, isto é uma mala, isto é um novo par de brincos, isto é um verdadeiro ROMBO para a carteira. Ficamos tesas que nem um carapau mas ao menos sabemos que vamos fazer boa figura.
Após esta épica odisseia caímos em nós e deparamo-nos com uma dúvida: “Ele ainda não disse onde era o jantar”.. ah pois, andamos a gastar 1/8 do ordenado e ainda nos vai levar a comer uma pizza ou um bitoque numa tasca qualquer. Claro que estou a exagerar, mas convém saber onde é que se vai encher a barriga, senão corre-se o risco de estar vestida inapropriadamente.
Chegado o dia D, sem que se saiba ainda onde é que vai ser o restaurante, acordamos inchadas ou com uma borbulha. Basicamente é aquele dia D que estamos mas é boas para ir regar milho ou plantar batatas ou simplesmente ficar no sofá, sem que ninguém nos veja, a devorar bolachas.
Agora imaginem que depois desta aventura de aperaltar o andor, o gaijo liga e diz “Surgiu um imprevisto, infelizmente não posso ir!” (1º cenário)-certamente ficava possuída da vida, depois passava, depois ouvia a desculpa e dependendo do gravidade do imprevisto ou aceitava na boa ou mandava-o dar uma curva ao bilhar grande.
Num 2º cenário, olhamos umas 50 vezes para o espelho de lado, de frente, de trás, a rir, séria, a fazer beiçinho, a andar, a dançar. Inventamos mil uma situações para ver se estamos mesmo bem. Descemos as escadas, de dentes lavados, deo posto e perfumadas, todas giraças e ele nem nota.. apenas diz “mmmm cheiras bem” e nós aí pensamos “ok, perfume a mais”.
Num 3º cenário (porque não há duas sem 3) ele tem exactamente aquela reacção fantástica que nos deixam lá em cima e cientes de que o esforço não foi em vão. Aí há futuro garantido, mesmo que curto.

(a verdade é que nem todas são assim, mas eu admito que pelo menos umas 2 vezes já fiz metade)

3 comentários:

lu de lúcia disse...

Gostei do texto.
Todas as mulheres, em algum momento sentem isso, sabem o que é isso!
E está tudo tão bem falado e trabalhado aqui neste texto. Que sabe mesmo bem vir aqui e ler!!

Peppy Miller disse...

Lu tudo experiência própria ;)

Ana João disse...

ah ah ah achei uma piada ao texto x) A verdade é que é mais ou menos isso que acontce..algumas vezes mais outras menos mas é xD