04/12/2012

a inocência da infância

Hoje de manhã, quando vinha a caminho do trabalho, olhei para as montras das lojas decoradas com pinheirinhos, fitinhas e embrulhos e lembrei-me de quando era criança. Lembrei-me de olhar para os embrulhos debaixo dos pinheirinhos e desejar que pudesse abrir aqueles presentes todos, acreditando que lá dentro havia "um presente" e não folhas de jornal amarrotadas.
Achava que os embrulhos tinham de facto prendas e que no dia 25 esses embrulhos eram distribuídos pelas crianças que não receberam um único presente.
Realmente, que imaginação!!!